segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Das coisas que eu não sei dizer

Outro dia eu li um daqueles textos que bateu uma identificaçãozinha aqui.
Eu sou uma pessoa desastrada, mas o desastre não é só físico, de sair derrubando coisas, trombando em tudo por aí...
Sou um desastre emocional também, como muito já falei e já devem ter percebido.
Não cheguei a discutir isso em terapia, mas só pode ser insegurança, medo e daí pra baixo. Pra quem já teve um número considerável de perdas nessa vida, e perdas importantes demais, o medo de passar por isso de novo, é aterrorizante.

E sei lá, qualquer coisa dá medo.
É foda se abrir de fato.
É contraditório, porque muitas vezes parece que sou um livro aberto e me jogo de cabeça nas coisas ( ou é essa a impressão que Eu tenho).
Tenho a impressão de que transpareço o que sinto, mas daí descubro que não.
Sou estabanada e falo algo de qualquer jeito e passo a impressão contrária do que eu queria e daí já foi.
Rainha de perder timings, perco sempre acho que, não, vc não tá dando mole pra mim.
Não faço jus ao coração gelado dos aquarianos.
O meu é bem quentinho, bate forte, já sofreu horrores e tem uma dona que não sabe se expressar.
Ela fala,fala,fala, mas não consegue falar o que ela gostaria de dizer, por que ela sente demais.

1 comentários:

  1. Oi, Ju!
    eu me sinto assim também. Costumo dizer que na vida sou a Mônica, mas nos relacionamentos tenho a mesma (falta de) coragem do Chandler e o mesmo acerto e apego do Ross. Ou seja, nada dá certo.

    Será que um dia as coisas entram nos eixos?

    Beijos,

    Algumas Observações

    PS: Adorei entrar aqui e encontrar post fresquinho!

    ResponderExcluir